Feeds:
Posts
Comentários

Gente, tenho uma grande novidade para contar a vocês: o Papo Econômico tá mudando de casa!

O blog entrou no ar em novembro e, desde então, tenho aprendido bastante, tanto sobre economia e finanças quando em ser blogueira – o que não é nada fácil, afinal, tenho meu compromisso com vocês apesar da correria que é minha vida. Mas é muito recompensador!

Foram muitas, muitas mil visitas e retornos positivos (pessoas dizendo que eu as ajudei com minhas dicas. E isso é o que realmente dá sentido ao que eu faço, sem demagogia:))).

Mas tudo tem sua recompensa e hoje, orgulhosamente, anuncio que o Papo Econômico faz parte do Interney Blogs. Se você era acostumado a acessar o www.papoeconomico.com, pode continuar que ele será redirecionado automaticamente. Já o endereço www.papoeconomico.wordpress.com continua no ar, mas não terá mais atualizações.

Agora, você pode também usar o http://www.interney.net/blogs/papoeconomico e divulgar a seus amigos.

Ah, lembrando que você pode cadastrar o RSS para receber os textos direto no seu reader (ok, Google Reader). Basta

Só pra finalizar, seguem novos links para  linkar alguns tópicos mais importantes sobre os quais já conversamos:

Crise financeira
> O dia em que descobri que a crise chegou
> Socorro, governo!
> O bicho do desemprego tá pegando

Investimentos
> O que o governo vai mudar na poupança
> Quando o CDB quase me enganou
> Tesouro Direto: primeiras impressões

Orçamento Pessoal
> Dicas para comprar um carro sem ficar mais pobre do que já é
> Maldito consumismo que ainda acaba comigo
> Pagar aluguel não é jogar dinheiro fora

Economia
> A Selic diminuiu. O que isso significa?
> Us prédio bancário e o que você tem a ver com ele
> IPI, carro em 80 vezes e o nome sujo no SPC

resouro direto

Gente, já contei minhas primeiras impressões sobre o Tesouro Direto. Agora, vou explicar um pouco que sei obre os títulos públicos que você pode comprar.

Atualmente, o Tesouro Nacional oferece 15 tipos de títulos para compra. Cada um tem suas vantagens e desvantagens e seria bem legal você entender direito cada um antes de tomar sua decisão.

De qualquer forma, o Tesouro Direto é um investimento classificado como de renda fixa – ou seja, a taxa de rendimento é conhecida desde sempre. Diferente de um investimento em ações, por exemplo, que pode ter um rendimento explosivo num dia e no outro não render nada ou “cair”, entende?

Mesmo assim, os títulos ainda podem ser divididos entre os pré-fixados e os pós-fixados, que são os atrelados a algum índice econômico: inflação (IPCA ou IGP-M) e Selic.

O título pré-fixado vai render sempre naquela taxa, independente do que acontecer na economia. O que se baseia no IPCA, IGP-M ou na Selic, vai variando junto com a variação das taxas.

Títulos pré-fixados: Continuar Lendo »

tesouroGente, faz um tempão que eu prometo escrever sobre isso aqui. Agora, lá vamos nós.

Em meados do ano passado, apareceu uma graninha que eu não estava esperando. O bom de dinheiro que aparece quando você não espera é que você pode apoveitá-lo para investir em algo a longo prazo. Foi o que eu fiz.

Comecei a pesquisar alternativas para investir aquela grana (só para deixar claro que eu não sou rica 🙂 foram uns R$ 600. Acho que não vou ser sequestrada por causa disso, né? Espero que não). Eu já mantinha a minha poupança, que era para o casamento que eu estava planejando, e quis achar algum outro investimento que rendesse um  pouquinho mais.

Fui pesquisar sobre CDB, e já relatei as minhas descobertas aqui no Papo. Depois que o CDB quase me enganou, – porque não era um investimento que combinava com as minhas necessidades – fui salva pelo irmão de uma amiga que me mandou pesquisar sobre o Tesouro Direto. Continuar Lendo »

Fraudes de Madoff jamais teriam prosperado no Brasil, diz ‘FT’

O fraudulento esquema montado pelo banqueiro americano Bernard Madoff jamais teria ocorrido no Brasil por causa das regulamentações restritivas no sistema financeiro no país, segundo a edição desta quarta-feira do diário britânico Financial Times.

viaBBC Brasil – Notícias – Fraudes de Madoff jamais teriam prosperado no Brasil, diz ‘FT’.

Juros do cheque especial recuam pela sexta vez e atingem 8,87% ao mês

via Juros do cheque especial recuam pela sexta vez e atingem 8,87% ao mês – 15/06/2009 – InfoMoney.

Entre os últimos países do mundo a cair em recessão devido à crise econômica global em curso, o Brasil pode estar entre os primeiros a sair dela, segundo reportagem na versão eletrônica da revista britânica “The Economist”

via Folha Online – Dinheiro – Economia do Brasil está pronta para crescer de novo, diz “Economist” – 11/06/2009.

sky_before_a_thunderstormA diferença entre um blog e um site de notícias é que o site tem um monte de gente trabalhando. São profissionais pagos para escrever e o site será sempre alimentado.

O blog é pessoal e, aqueles que costumam visitar meu Papo Econômico como frequência para acompanhar as novidades tanto da minha vida financeira quanto meus comentários sobre os acontecimentos da economia brasileira, ficaram meio abandonados nos últimos dias. Se o blog é pessoal e o ‘nosso’ pessoal tá em turbulência, o blog pára.

Espero que nenhuma turbulência daqui pra frente me faça desanimar do blog denovo. Ânimo, isso aê!

Nesse tempo, algumas coisas aconteceram na economia:

– O Lula disse que é a favor da manutenção do IPI reduzido para automóveis novos. A redução será menor que a atual, mas já é uma boa notícia. Relembre um pouco quando falei sobre a redução do IPI e minhas dicas para quem quer comprar carro.

– Ontem (quarta-feira, 09/06) o Copom (Comitê de Política Monetária) reduziu mais um ponto percentual da Selic (taxa básica de juros) que chegou a 9,25%. É a primeira vez desde que a Selic existe que a taxa cai para menos de um dígito. Lembre o que significa a Selic diminuir.

– O Brasil vai oferecer R$ 10 bilhões emprestados para o FMI. “Nóis é chique, hein?”, diz o nosso presidente.  O Brasil há havia alcançado o título de credor, ou seja, “emprestador” de dinheiro para o Fundo Monetário Internacional. Agora, fizemos a primeira oferta.

Isso muda nossa imagem lá fora. Mostra que estamos no caminho do desenvolvimento e atrai investimentos internacionais aqui – e isso só trás benefícios e mais desenvolvimento. Se os governantes não fossem tão corruptos e desviassem para o bolso deles o dinheiro dos cofres públicos que deveriam ser reinvestidos em educação, saúde e obras públicas, isso refletiria em melhor qualidade de vida para toda a população. Bom, mas é um bom sinal, de qualquer forma. Se um dia o Brasil estiver em apuros e precisar de dinheiro novamente, vamos ter mais facilidade para obtê-lo. No momento, outros países precisam de crédito e isso vai ajudar a fazer com que a crise passe mais rápido.

Beijos e pique total para continuar o trabalho no Papo!!!

Imagem: Stock.XCHNG.com

piggy_bankPronto. O governo já apresentou a proposta de mudança da poupança que eu já havia comentado aqui no blog. É importante saber o que está em jogo, o que pode ou não mudar.

Para começo de conversa, vamos acabar com essa história de que “o governo está metendo a mão na nossa poupança igual o Collor fez”. Isso não tem nada a ver! Esse boato é o que a OPOSIÇÃO, ou seja, dos partidos contrários aos do lado do governo, querem que a gente acredite. (Sempre fique esperto com esses “joguinhos” políticos que só atrapalham o desenvolvimento do país).

O que o governo propôs foi: tributar as poupanças com mais de R$ 50 mil aplicados. Tributar? É, começar a cobrar impostos. Você lembra nos posts que falei que a poupança começou a ficar mais atrativa que o CDB? Um dos motivos era porque a poupança não cobrava imposto. Agora pode cobrar.

Sinceramente, não vejo, até aqui, um problema tão grande assim. Na boa, Continuar Lendo »

houseMuita gente vai achar esse texto maluquice. Outros, no entanto, poderão dizer “Faz sentido! Como nunca pensei nisso antes!”. A verdade é que o antigo conselho dos nossos pais, avós, parentes, amigos, enfim, o velho dito popular de que “pagar aluguel é jogar dinheiro fora” não é tão correto assim.

Basicamente, a ideia é: Se você aproveita o tempo em que está pagando aluguel para poupar dinheiro para comprar a casa própria, você está no caminho certo.

Geralmente, o preço de um aluguel é menor do que o da prestação de uma casa. E se você conseguir juntar dinheiro suficiente para pagar sua casa à vista, o tempo que você vai levar para fazer isso será menor do que se tivesse feito um financiamento em um milhão de vezes, como geralmente acontece.

A primeira vez que li sobre isso foi no livro “Casais Inteligentes Enriquecem Juntos”, que meu noivo me deu no ano passado. Depois, me deparei com a mesma dica no adorável blog da Cíntia Costa, o Planejando meu Casamento.

Com o pensamento de que pagar aluguel é uma péssima ideia, o que mais tenho visto de amigos e parentes é todo mundo financiando o apartamento pela Caixa em 15 ou 20 anos. A grande desvantagem desse financiamento é que ele é longo demais. Mesmo eles dizendo que as parcelas “vão diminuindo com o tempo”, na verdade, no fim das contas, você pagou quase duas vezes o valor que sua casa vale após os anos de parcelamento.

É só fazer uma simulação no site da Caixa.

E tem um pequeno agravante nesses financiamentos. Continuar Lendo »

house_cefQuero aproveitar o recente pacote de habitação do Governo Federal para falar um pouquinho sobre imóveis.

Em março, Lula anunciou a construção de um milhão de moradias para a população de baixa renda. Ele não deu um prazo exato de quando as casas estarão prontas – para ninguém ficar enxendo a paciência dele com cobranças 🙂

Sem deixar de ser uma propaganda do governo para as próximas eleições (2010), o programa “Minha Casa, Minha Vida” também é uma medida de socorro no combate à crise. Muitos empregos (cerca de um milhão e meio) serão gerados e muito dinheiro (R$ 60 bilhões) – por meio do crédito, empréstimos e financiamentos – vai circular no mercado, o que é sempre bom para a economia.

Os principais beneficiados com o programa são as famílias com renda entre 0 e 3 salários mínimos (até R$ 1.395). Elas vão pagar uma prestação mensal equivalente a 10% do salário, durante dez anos. Para se cadastrar, basta ir a uma agência da Caixa com os documentos listados na cartilha disponível aqui.

Para ser sincera, eu acho que o programa só é grandemente vantajoso para as famílias dessa faixa de renda.

As famílias com renda entre 3 e 10 salários mínimos (até R$ 4.650) não terão subsídio no valor do imóvel. Apenas contarão com descontos nos juros, custos de cartório e taxas que podem reduzir em até R$ 23 mil o valor final. A entrada é opcional e o pagamento pode ser em até 30 anos – 360 vezes. O titular também pode usar o FGTS como parte do pagamento. Basicamente, não muda muita coisa do programa de financiamento que a Caixa já tinha antes.

Por tudo o que eu já li em livros sobre finanças pessoais, o financiamento quase eterno – como o famoso da Caixa – não é forma mais econômica de adqurir sua casa.

Vou conversar sobre isso no próximo post, ok?

Se quiser saber mais sobre o Programa Minha Cassa, Minha Vida, visite a área Habitação do site da CEF e clique na imagem da casinha do lado esquerdo do site – ou vá pessoalmente a uma agência.