Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘aprender’

tesouroGente, faz um tempão que eu prometo escrever sobre isso aqui. Agora, lá vamos nós.

Em meados do ano passado, apareceu uma graninha que eu não estava esperando. O bom de dinheiro que aparece quando você não espera é que você pode apoveitá-lo para investir em algo a longo prazo. Foi o que eu fiz.

Comecei a pesquisar alternativas para investir aquela grana (só para deixar claro que eu não sou rica 🙂 foram uns R$ 600. Acho que não vou ser sequestrada por causa disso, né? Espero que não). Eu já mantinha a minha poupança, que era para o casamento que eu estava planejando, e quis achar algum outro investimento que rendesse um  pouquinho mais.

Fui pesquisar sobre CDB, e já relatei as minhas descobertas aqui no Papo. Depois que o CDB quase me enganou, – porque não era um investimento que combinava com as minhas necessidades – fui salva pelo irmão de uma amiga que me mandou pesquisar sobre o Tesouro Direto. (mais…)

Anúncios

Read Full Post »

piggy_bankPronto. O governo já apresentou a proposta de mudança da poupança que eu já havia comentado aqui no blog. É importante saber o que está em jogo, o que pode ou não mudar.

Para começo de conversa, vamos acabar com essa história de que “o governo está metendo a mão na nossa poupança igual o Collor fez”. Isso não tem nada a ver! Esse boato é o que a OPOSIÇÃO, ou seja, dos partidos contrários aos do lado do governo, querem que a gente acredite. (Sempre fique esperto com esses “joguinhos” políticos que só atrapalham o desenvolvimento do país).

O que o governo propôs foi: tributar as poupanças com mais de R$ 50 mil aplicados. Tributar? É, começar a cobrar impostos. Você lembra nos posts que falei que a poupança começou a ficar mais atrativa que o CDB? Um dos motivos era porque a poupança não cobrava imposto. Agora pode cobrar.

Sinceramente, não vejo, até aqui, um problema tão grande assim. Na boa, (mais…)

Read Full Post »

house_cefQuero aproveitar o recente pacote de habitação do Governo Federal para falar um pouquinho sobre imóveis.

Em março, Lula anunciou a construção de um milhão de moradias para a população de baixa renda. Ele não deu um prazo exato de quando as casas estarão prontas – para ninguém ficar enxendo a paciência dele com cobranças 🙂

Sem deixar de ser uma propaganda do governo para as próximas eleições (2010), o programa “Minha Casa, Minha Vida” também é uma medida de socorro no combate à crise. Muitos empregos (cerca de um milhão e meio) serão gerados e muito dinheiro (R$ 60 bilhões) – por meio do crédito, empréstimos e financiamentos – vai circular no mercado, o que é sempre bom para a economia.

Os principais beneficiados com o programa são as famílias com renda entre 0 e 3 salários mínimos (até R$ 1.395). Elas vão pagar uma prestação mensal equivalente a 10% do salário, durante dez anos. Para se cadastrar, basta ir a uma agência da Caixa com os documentos listados na cartilha disponível aqui.

Para ser sincera, eu acho que o programa só é grandemente vantajoso para as famílias dessa faixa de renda.

As famílias com renda entre 3 e 10 salários mínimos (até R$ 4.650) não terão subsídio no valor do imóvel. Apenas contarão com descontos nos juros, custos de cartório e taxas que podem reduzir em até R$ 23 mil o valor final. A entrada é opcional e o pagamento pode ser em até 30 anos – 360 vezes. O titular também pode usar o FGTS como parte do pagamento. Basicamente, não muda muita coisa do programa de financiamento que a Caixa já tinha antes.

Por tudo o que eu já li em livros sobre finanças pessoais, o financiamento quase eterno – como o famoso da Caixa – não é forma mais econômica de adqurir sua casa.

Vou conversar sobre isso no próximo post, ok?

Se quiser saber mais sobre o Programa Minha Cassa, Minha Vida, visite a área Habitação do site da CEF e clique na imagem da casinha do lado esquerdo do site – ou vá pessoalmente a uma agência.

Read Full Post »

consumismo1 Para vocês que acompanharam meu relato sobre o maldito consumismo que ainda vai acabar comigo :), seguem algumas sugestões pessoais (que estão dando certo) para eu me livrar desse grande mau para o meu bolso. Quem sabe dá certo para você também?

– Faça as contas e veja quanto o seu consumismo “consome” do seu salário todos os meses. Veja o que você poderia fazer com esse dinheiro, se juntasse por um ano. Poderia fazer um curso muito importante para a sua profissão? Comprar um carro? Fazer a viagem dos seus sonhos? Ou simplesmente conseguiria se livrar de todas as suas dívidas e ter uma vida melhor?

–  Saia de casa sem o seu cartão de crédito, bem como todos os cartões de lojas e talão de cheques. Vai chegar um momento em que você estará “reabilitado” e já conseguirá controlar os impulsos de comprar, mesmo que estiver com o cartão de crédito na carteira. Mas, cada passo de cada vez, né?

– Quebre seu cartão de crédito, se isso for necessário para impedí-lo de comprar. Para os casos mais graves (mais…)

Read Full Post »

Não sei quem foi a boa alma que colocou esse vídeo no YouTube. (que bom q tem gente sempre disposta a gastar tempo em fazer coisas na internet para nos divertir depois, né?)

Faz tempo que não coloco nada engraçadinho aqui, então lá vai uma lição do He-Man sobre as pessoas que fazem de tudo para ganhar dinheiro de maneira rápida e fácil. Se todos estivessem ouvido o grandão, a crise não existiria hoje 🙂

Coisas que aprendi sobre finanças nesse tempinho em que tenho estudado:
– Não existe milagre
– Se um ganha aqui, o outro perde lá
– Infelizmente, pessoas ricas ganham dinheiro com mais facilidade e só melhoram de vida. Pobre tem tendência de não ganhar ou perder o que tem.
– Depende de você querer sair fora da estatística, quebrar essa “tendência”.
– Não vale a pena fazer nada ilícito. Um dia a casa cai.

Read Full Post »

workaholic1Olá!

O assunto do post de hoje não é economia, nem finanças. Quero fazer uma partilha com vocês: No último dia 25/03 (quarta-feira passada) o Papo Econômico completou quatro meses de vida! Até hoje, recebi 4.484 visitas.

O mais legal de tudo é que esse número representa que não apenas os meus amigos pessoais e colegas de faculdade o visitam. Graças ao Google e um pouquinho de recomendações boca-a-boca, o blog está conseguindo chegar a mais gente.

Sem demagogia, o que eu sempre quis com esse trabalho (e bota trabalho nisso), foi ajudar a todas as pessoas – pobres e que ganham pouco como eu – a entenderem todos os lances que envolvem seu dinheiro e a forma com que devem lidar com o salário para atingirem objetivos e terem uma vida melhor. Agora e no futuro.

Nesse tempo eu também tenho aprendido muito. Como eu disse, sou só uma curiosa das questões econômicas. Sou jornalista, mas não sou economista. Por isso, cada post que eu escrevi demandou muitas pesquisas para eu ter certeza do que não falaria nenhuma besteira e poder explicar tudo da maneira mais fácil de entender possível.

Bom, espero continuar ajudando ao máximo de pessoas. Por isso, gostaria de pedir que você recomende esse blog para as pessoas que você conhece.

Ah, e você também está convidado a assinar o RSS do Papo Econômico. O que é RSS? Éuma assinatura que você faz dos textos, notícias, posts de blogs espalhados pela internet. Ao clicar no botãozinho rss, lá na parte de cima do blog, do lado direito, você receberá no seu Reader (Google Reader) sempre que eu publicar alguma coisa no Papo. Se você ainda não usa Reader, está aí minha sugestão. A ferramenta é a maneira mais fácil de se manter atualizado de todos os novos posts dos seus blogs favoritos, bem como das notícias que mais o interessam, nos seus veículos preferidos. Economiza em muito o tempo que você gasta para entrar site por site, blog por blog…

Qualquer dúvida, escrevem. O espaço dos comentários está sempre aberto! Obrigada!!!

Read Full Post »

coins_tabela1*Esse post sofreu uma correção, explicada logo abaixo, tá, gente?

Conforme prometido no post onde contei quando o CDB quase me enganou, agora explico que diabos é esse CDB, finalmente.

A sigla CDB vem de Certificado de Depósito Bancário. O CDB é uma espécie de empréstimo que fazemos ao banco. Esse dinheiro captado ajuda o banco a oferecer créditos para financiamentos, por exemplo. Como todo empréstimo tem juros, o banco paga um ‘juros’ por termos emprestado dinheiro para ele. Esse juros é a rentabilidade (ou rendimento) da aplicação.

Existe praticamente dois tipos de CDB diferentes. Os que têm rendimentos pré-fixados (nesses, você sabe, na hora em que aplica, quanto irá receber depois de determinado tempo) ou pós-fixados (que variam conforme alguma taxa e pode acabar sendo maior ou menor do que a taxa vigente no dia em que você iniciou sua aplicação).

O CDB tem alguns detalhes que você precisa prestar atenção. (mais…)

Read Full Post »

Older Posts »